ESTATUTO EDITORIAL
RÁDIO TERRA DA FRATERNIDADE

O mundo de hoje está a deixar-nos apreensivos sofre o futuro da liberdade e do progresso: estes valores não são nunca dados adquiridos, e nada nos garante que tudo o que foi alcançado não se venha a perder.
A luta pela liberdade tem de ser uma constante.
E nessa luta pela liberdade, a luta pela liberdade de informação, pela liberdade de pensamento, e pela cultura são pilares essenciais.
Foi por isso, que cidadãos portugueses e de muitos outros cantos do mundo, desde o Brasil a Angola, desde os Estados Unidos da América à Argentina, decidiram-se unir-se para criar esta RÁDIO TERRA DA FRATERNIDADE (RTF).
A RTF é uma rádio de novo tipo, liberta de preconceitos ideológicos, que fundamenta as suas ideias e a sua prática nos princípios essenciais da liberdade, da igualdade e da fraternidade, da justiça, da verdade, da honra e do progresso.
Uma rádio em que o saber, a cultura e uma informação livre, equitativa e rigorosa são os seus alicerces.
Uma rádio em que Portugal se pensa a si próprio não como este pequeno retângulo ancorado à Europa mas como uma Pátria que deu novas pátrias ao mundo.
A RTF difunde não é o patrioteirismo do passado salazarento mas o patriotismo que se funda na diferença e no orgulho por uma rica cultura de séculos que se repartiu pelo mundo e recolheu tantos pedaços do mundo para se formar a si mesma.
O seu nome é uma pequena homenagem a Zeca Afonso, ao cantor da liberdade, da igualdade e da fraternidade cuja voz, a alma e o exemplo permanecem entre nós.
E aos capitães de Abril, heróis da fraternidade que queremos não mais se apaguem das memórias.
A RTF será uma rádio para o povo e para as elites, porque o povo só pode conceber-se com as elites e as elites com o povo. A qualidade e o respeito pelos nossos ouvintes são os nossos traços essenciais.